LEIA MAIS

...

Acupuntura e definição dos pontos

DefineTsun

Além de um diagnóstico correto, um planejamento adequado, uma escolha acertada e uma combinação balanceada de pontos, um tratamento bem-sucedido em acupuntura depende da localização exata dos pontos4.

Deste modo, o conhecimento e a localização dos pontos acaba sendo determinante para o sucesso da acupuntura, como uma terapêutica para o reequilíbrio dos indivíduos.

Deve-se considerar ainda, o fato de que a localização adequada do ponto evitaria riscos de acidentes sobre as estruturas anatômicas orgânicas, bem como de possíveis lesões causadas por perfurações com as agulhas2,3.

A localização dos pontos pode ser feita através da observação dos diversos acidentes anatômicos do corpo, ou por aparelhos elétricos, ou pela técnica “very point”, onde ao se deslizar uma agulha levemente sobre a pele, a mesma quase que penetra sozinha no ponto, ou ainda, utilizando-se de métodos para a medição proporcional das distâncias corporais e entre os diversos pontos4.

O dedo polegar das mãos é usualmente utilizado para o estabelecimento de uma unidade de medida relativa corporal, conhecida em chinês como cun e que se pronuncia tsun 4,5,6,7.

O cun ou polegada chinesa, medido no dedo polegar, é a medida tomada da falange distal do polegar na sua parte mais larga, ao nível da articulação interfalangeana4,5.

Na aplicação da prática da acupuntura o cun é uma medida que deve ser tomada individualmente, já que há variações de tamanho entre as pessoas.

Deste modo, pode-se afirmar que o cun é uma unidade de medida relativa e variável e que deve ser avaliado em cada paciente distintamente.

Para distâncias maiores que 1,0 cun, podem ser utilizados como referência outros dedos da mão do paciente, como: para 1,5 cun, o dedo indicador e o médio, para 2,0 cun, os dedos indicador, médio e anular e para 3,0 cun, os dedos indicador, médio, anular e mínimo. Contudo, à medida que a distância aumenta, maiores serão as dificuldades encontradas para o correto estabelecimento do ponto de acupuntura.

Alterações foram encontradas quando se avaliou as distâncias de 1,5, 2,0 e 3,0 cun tomadas em várias partes dos dedos (altura das articulações interdigitais distais ou proximais) propostos para localização, não sendo portanto confiáveis, as medidas encontradas por este método8.

Assim, instrumentos ou métodos que possam facilitar e determinar com maior precisão a localização exata do ponto de acupuntura, oferecendo aos indivíduos o resultado mais adequado para o seu tratamento, serão sempre bem-vindos.

  DefineTsun

 O método consiste na utilização de “réguas construídas em material plástico maleável” devidamente marcadas com distâncias estabelecidas de 1 cun (tsun). O conjunto destas “réguas” foi denominado de “DefineTsun”.

Também faz parte do conjunto de “réguas” (DefineTsun) uma específica contendo diversas medidas de cun, chamada especialmente de “EscalaTsun”.

Como o cun é uma unidade de medida relativa e variável, foram confeccionados “DefineTsuns” (réguas) com medidas também variáveis.

As variações iniciais de cun foram de 19mm a 30mm, podendo ainda ser modificadas para mais ou para menos.

Assim, como exemplo, para um polegar com 21mm de medida, toma-se o “DefineTsun 21”.

Cada “DefineTsun” possui marcações para 0,5, 1,0, 1,5, 2,0, 3,0, até 10 cun’s.

Podem ser confeccionados ainda, “DefineTsuns” pediátricos, contendo variações para as medidas infantis.

 Método de Utilização do DefineTsun

 Inicialmente é tomada a medida individual de 1,0 cun, medindo-se o dedo polegar do paciente, através do uso da “EscalaTsun”.

Esta medida inicial deverá ser registrada no prontuário do paciente. Assim, tão logo o paciente adentre à próxima consulta, de antemão já teremos a sua medida já previamente estabelecida.

Toma-se então o “DefineTsun” referente à medida avaliada e realizam-se as medidas necessárias para a localização dos pontos de acupuntura.

 Referências Bibliográficas

 1- MACIOCIA, G. – A Prática da Medicina Chinesa. Tratamento de Doenças com Acupuntura e Ervas Chinesas. Ed. Roca. São Paulo, SP, Brasil, 932p, 1996.

2- GRANT, A. & MA, B-Y.- The safe use of difficult & dangerous acupuncture points. J Chinese Med, n.72, p.11-15, 2003.

3- WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO)– Guidelines on basic training and safety in acupuncture. WHO, EDM, TRM 99.1, WHO Geneva, 1999.

4- FOCKS, C. – Atlas de Acupuntura. Ed. Manole, Barueri, SP, Brasil, 255p, 2005.

5- CASALECHI, W. R. – Método Cun. Apostila Anatomia Palpatória. Curso de Acupuntura Ad Eternum, Medicina Tradicional Chinesa, Campinas, SP, Brasil, p.28-29, 2004.

6- MORANT, G. S. – Acupuntura. Ed. Panamericana, 3ª ed., Buenos Aires, 1990.

7- SILVA, A. R. – Fundamentos da Medicina Tradicional Chinesa. Apostila.

8- CHAIM, L. A. F. – Considerações acerca de medidas utilizadas para a localização de pontos de Acupuntura. Monografia apresentada ao Curso de Especialização em Acupuntura, Ad Eternum – MTC, como requisito para a obtenção do título de Especialista em Acupuntura, Campinas, SP, 2005.

  • by drchaim
  • posted at 17:24
  • 11 de março de 2012