LEIA MAIS

...

Condições bucais de acesso

Entre as dificuldades apresentadas em relação às condições bucais de acesso para a realização da higiene bucal, encontram-se: a presença de aparelhos ortodônticos fixos (Figura 1), o reflexo de ânsia, a quantidade de dentes presentes nas arcadas e o seu posicionamento (Figura 2), por exemplo, apinhamentos e giroversões, que podem representar significativas interferências para a remoção dos biofilmes bucais.

                   Figura 1- Exemplos de aparelhos ortodônticos fixos.

Figura 2 – Exemplo de placa acumulada em dentes mal posicionados.

Muitos autores determinaram a presença de alterações patológicas nos tecidos dentários e periodontais de pacientes portadores de aparelhos ortodônticos. A presença dos acessórios ortodônticos aderidos às superfícies dentárias, além de dificultar a higiene em função de suas reentrâncias e saliências, também facilita a retenção de resíduos alimentares, que dependendo de suas características, podem vir a modificar a patogenicidade do biofilme dental.

O estabelecimento de uma correta colocação, adaptação e escolha dos aparelhos ortodônticos fixos, além das condições de controle e limpeza das arcadas dentárias (Figura 3) pode significar a manutenção ou não, da integridade dos tecidos dentários e periodontais dos pacientes.

                       Figura 3 – Avaliando as condições de higiene no modelo.

A higiene bucal em um paciente portador de aparelhos ortodônticos fixos depende de mecanismos de automonitoração, planejamento e estratégias de motivação, associados a instrumentos que possam limpar as superfícies dentárias, apesar da presença dos aparelhos.

Para estes pacientes foram confeccionadas escovas dentárias com modificações no formato, disposição e diâmetro das cerdas, tentando atender as necessidades de manuseio.

A indicação de escovas dentais com alinhamentos de cerdas em desenhos diferenciados, caracterizando-as como “escovas ortodônticas” (Figura 4) pode ser um recurso bastante eficiente.

                            Figura 4 – Exemplo de escova tipo “ortodôntica”.

Num estudo comparando a efetividade de uma escova tradicional em comparação com uma escova dental modificada para uso em pacientes com aparelhos ortodônticos fixos, observou-se que as escovas modificadas utilizadas na técnica de escovação de Bass foram mais eficientes na remoção da placa, que as escovas tradicionais.

Num outro estudo avaliando o desempenho de 3 diâmetros de cerdas durante o controle da placa em pacientes também com aparelhos ortodônticos fixos, observou-se que o diâmetro das cerdas poderia ter influência no resultado final de remoção de placa, sendo que as cerdas com diâmetros menores (0,15mm) apresentaram os piores resultados.

A higiene dental em pacientes com aparelhos ortodônticos fixos deve ser realizada com muita cautela, observando-se a limpeza de toda a superfície dental ao redor dos “braquetes”, posicionando a escova e o fio dental como mostra as figura 5 , evitando desse modo o aparecimento de cáries conhecidas como “cáries ortodônticas”. (Figura 6).

Figura 5 – Higiene dental em pacientes com aparelhos ortodônticos fixos.

                            Figura 6 – Exemplo de “cáries ortodônticas”.

Em pacientes com aparelhos ortodônticos fixos e ainda naqueles com dentes mal posicionados; como nos apinhamentos dentários, nas giroversões, nos pequenos deslocamentos, nas recessões ósseas e gengivais com as raízes expostas, nos dentes isolados nas arcadas ou de difícil localização e acesso, onde as escovas convencionais não conseguem alcançar ou envolver toda a superfície dental a ser limpa, a utilização de escovas do tipo unitufo e interdental (Figura 7) tem se mostrado altamente eficiente, sendo este um excelente motivo para sua indicação.

                             Figura 7 – Usando escovas interdentais.

Em pacientes com reflexo de ânsia exacerbado, muitas vezes, a ausência de dentifrícios durante as escovações, pode ajudar a resolver o problema. Contudo, deve ser analisada a possibilidade do paciente ter alterações de fundo emocional, o que complicaria a solução, aumentando o risco de doenças bucais.

Enfim, uma análise pormenorizada de cada caso, buscando-se soluções, como o uso de instrumentos diferenciados, escovas especiais, escovas do tipo unitufo ou interdental pode ser o suficiente para a obtenção de resultados na remoção da placa de dentes em pacientes que apresentam dificuldades de acesso para a limpeza.

Livro: O que você precisa saber sobre Higiene Bucal / Técnicas – Instrumentos – Discussões / Um Roteiro para a Saúde Bucal.

Prof. Dr. Luís Antônio F. Chaim

  • by drchaim
  • posted at 14:16
  • 8 de fevereiro de 2012